Desemprego cresce no Brasil e no mundo

Em meio a pandemia do coronavírus, o desemprego cresce no Brasil e no mundo. Isso porque, a crise econômica que se agravou, reduziu o número de postos de trabalho e fechou empresas por falta de dinheiro.

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a pandemia do Covid-19 gerou impactos negativos, levando mais de 108 milhões de trabalhadores ao desemprego. Mas, a situação é grave em todo o mundo, já que milhões de pessoas passaram a viver em condições de pobreza e miséria, em diferentes continentes.

Quer saber como está a situação do desemprego no Brasil e no mundo? Confira este post especial sobre o assunto!

A crise econômica e o desemprego

Segundo as perspectivas do OIT, mais de 205 milhões de pessoas devem ficar desempregadas até 2022 ao redor do mundo. Isso porque, a crise econômica imposta pela Covid-19 atingiu a maioria dos países, incluindo as grandes potências.

Com isso, até que o crescimento econômico seja retomado, milhares de postos de trabalho serão cortados. Como consequência disso, foi registrado um aumento da desigualdade social.

Assim, aqueles países que não estão conseguindo controlar os rumos da pandemia, são os que estão apresentando problemas econômicos ainda maiores, que pode se prolongar por mais tempo, como o caso do Brasil.

Isso porque, a prioridade dos governos não está sendo os postos de trabalho perdido, mas sim as questões sanitárias e de saúde.

Renda básica e auxílio emergencial em meio ao desemprego que cresce

Com a previsão de agravamento da situação econômica, os países precisam criar projetos que possam garantir ao menos o básico para a sobrevivência da população mais pobre que, por consequência, tem sido a mais atingida pela pandemia.

Por isso, programas sociais precisam ser implantados para dar ao povo comida e moradia. Observa-se que nos últimos meses o número de pessoas vivendo em situação de rua aumentou acentuadamente nas grandes capitais.

A redução do auxílio emergência deve evidenciar esse problema nos próximos meses. Já que, sem a ajuda do governo, muitas famílias podem passar a viver abaixo da linha da miséria, um problema social que o Brasil estava quase superando.

Fatores que levaram ao aumento do desemprego

O agravamento da pandemia é o fator principal para a curva de crescimento do desemprego no Brasil. No orçamento público de 2021, uma maior parte do montante foi destinada à saúde, para conter o avanço da doença.

Assim, as incertezas do mercado e a falta de investimento público levaram a retração da economia, que por si só já faz com que postos de trabalho sejam extintos.

O mundo passa pelo mesmo problema, mas o controle da Covid-19 está sendo determinante para a retomada econômica. Países emergentes que não conseguem controlar o avanço do vírus preveem um crescimento menor que os demais.

Por isso, os especialistas acreditam que o Brasil precisará de pelo menos 5 anos para se reerguer da crise, voltando a criar posto de trabalho e aumentar o crescimento da economia.

Então, é difícil conter o desemprego que cresce no Brasil e no mundo, levando os governos a buscar meios para garantir o básico para a sua população.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *