A Prostituição

A Prostituição

A Prostituição é um tema polêmico que envolve a sexualidade humana.  Entretanto, atividade consiste em uma pessoa, uma mulher ou um homem receber dinheiro em troca de promover prazeres sexuais a outrem.

Apesar de fortemente disseminada no senso comum, a ideia de que a prostituição seja a profissão mais antiga do mundo não encontra qualquer fundamento histórico ou antropológico.  Contudo, os mais antigos registros de atividades humanas revelam as mais variadas especializações como agricultura e a caça.  Visto que não revelam indícios de prostituição, o que normalmente exigiria um contexto social posterior.

Também no Egito antigo, na região da Mesopotâmia, e na Grécia, via-se que a prática tinha uma ritualização. As prostitutas, consideradas grandes sacerdotisas (portanto sagradas), recebiam honras de verdadeiras divindades.  E era comum a oferta de presentes em troca de favores sexuais.

 

Prostituição no Brasil

Uma pesquisa do Ministério da Saúde e da Universidade de Brasília, indica que em 2005, quase quarenta por cento das prostitutas estavam na profissão há, no máximo, quatro anos.  Dessa forma, o fato indicaria um alto grau de abandono da profissão.

A atividade de prostituição no Brasil em si não é ilegal.  Dessa forma, não incorrendo em penas nem aos clientes, nem às pessoas que se prostituem. Entretanto, o fomento à prostituição e a contratação de mulheres para atuarem como prostitutas é considerado crime, punível com prisão.

Contudo, enquanto muitas garotas de programa encontram a exploração por agenciadores, outras tornam-se independentes.  Também mantém suas atividades, divulgando seu próprio trabalho tanto em classificados online quanto off-line.

Em ambos os casos, a anunciante deve fornecer documento de identidade, e a comprovação da idade.  Assim como a veracidade das informações contidas no anúncio são checadas.  Contudo, o mesmo não ocorre na rua, onde menores de idade podem ser vítimas da indústria do sexo.  E são muito mais vulneráveis.

Prostituição e as doenças sexualmente transmissíveis

Modernamente, com as infeções sexualmente transmissíveis, entre as quais a SIDA (AIDS em inglês e na variante brasileira da língua portuguesa), a prática da prostituição recebeu um golpe.

Foi necessária a intervenção estatal para o controle e prevenção das doenças.  Estas que atingiram níveis de epidemia no final do século XX, início do século XXI, extinguindo boa parte da população de risco (pois são enfermidades fatais aos clientes e prostitutas).

Apesar das tentativas de órgãos de saúde pública com a prevenção, em regiões mais pobres do planeta, miséria e prostituição são palavras praticamente sinônimas.

Prostituição no século 21

Nas regiões mais pobres a miséria, a prostituição, o tráfico de drogas e as DST se entrelaçam. No Brasil a prostituição infantil é comum nas camadas mais pobres dos grandes centros urbanos.

Nas capitais do Nordeste em especial, existe o turismo sexual.  Há locais onde crianças de ambos os sexos são recrutadas para satisfazer os desejos de pedófilos provindos de todas as partes do mundo, em especial dos Estados Unidos e da Europa.

Alguns países já reconhecem legalmente a prostituição como profissão, a exemplo da Alemanha.

Com a popularização dos novos meios de comunicação em massa, novas formas de prostituição se verificaram.  As conexões vão desde o “sexo por telefone” à sites de encontros casuais.  No digital, a indústria do sexo ainda fatura alto, onde o sexo é comercializado em filmes, imagens, ‘onlyfans’, webcams ao vivo, entre outros.

A Prostituição mostrou-se um serviço com muita demanda, ao longo dos tempos.  Como conclusão, dica claro com tantas  atualizações e perspectivas, a sua vida longa, e sem data para acabar.  Ela irá se adaptar tal como a humanidade até aqui, e sempre estará conosco.

Referência:

*Prostituição

https://www.coladaweb.com/sociologia/prostituicao

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *